Que a tecnologia está sempre crescendo em ritmo acelerado, isso já sabemos. Nossas vidas são drasticamente diferentes de como eram apenas dez anos atrás, justamente por causa do progresso tecnológico. No entanto, ainda subestimamos (ou simplesmente não percebemos) a força e a rapidez cada vez maiores do desenvolvimento de novos produtos e ideias, e principalmente a acessibilidade disso para todos.

 

O ano de 2018 promete surpreender muita gente trazendo tecnologias altamente modernas e que ainda temos como “futuristas” nas mãos dos consumidores regulares. Ficar ligado nas tendências para este ano é a chave para se manter atualizado, seja como pessoa, seja como marca.

 

realidade aumentada

A realidade aumentada chegou para ficar

 

Se o Google Glass foi “fogo de palha” e nunca realmente conseguiu alcançar grande entusiasmo entre as pessoas, devido ao seu design duvidoso e sua praticidade contestável, empresas como Samsung e o próprio Google estão apostando suas fichas no segmento da realidade aumentada.

 

Uma reportagem do portal norte-americano Wired vai além, e coloca que a corrida pelo desenvolvimento da realidade aumentada é apenas um estágio para chegarmos no momento no qual todos utilizarão óculos que fundem o que é físico e virtual – se pensarmos que hoje os celulares são quase extensões de nossas mãos, não faz sentido?

 

Aplicativos e conteúdos efêmeros em alta

 

O grande salto em popularidade que Snapchat e Instagram Stories alcançaram em 2017 apontam para um futuro dominado por aplicativos cada vez mais efêmeros – ou seja, de conteúdo que pode ser consumido rápido, sem muito esforço e sem muito significado.

 

Ao passo que os aplicativos estão cada vez mais nessa onda (WhatsApp e Facebook também já entraram), o próprio conteúdo compartilhado precisa ser cada vez mais compacto. Vídeos e textos que “resumem” grandes notícias ou assuntos complexos se mostram mais adequados à nossa realidade dominada pela internet, smartphones e pela tecnologia.

 

 

Transmissões ao vivo (“live streaming”) mais fortes do que nunca

 

O nicho das live streams passou, nos últimos anos, de um entretenimento “alternativo” e “descolado”, reservado para pessoas com maior público e marcas de maior alcance, para uma mídia a ser explorada por qualquer indivíduo ou empresa.

 

Durante o recente desenvolvimento das transmissões ao vivo, diversos serviços para os usuários e recursos para os produtores de conteúdo emergiram e se consolidaram, fazendo com que as live streams ganhassem amplo destaque, e isso é comprovado pelas estatísticas – o tempo médio de uma pessoa assistindo a uma transmissão em tempo real é de 42.8 minutos, oito vezes mais vídeos gravados, segundo a Tubular Insights.

 

Atenção à geração Z

 

Aqueles nascidos entre os anos de 1993 e 2012 são tidos como pertencentes à geração Z, que é um conjunto de indivíduos acostumados desde cedo com a tecnologia e com seu rápido avanço.

 

Além disso, a geração Z tem características marcantes de inclinação política, opinião e gosto por tecnologia (especialmente dispositivos mobile). A sua presença cada vez maior no mercado e seu crescente poder de compra chama atenção das marcas, que fazem campanhas publicitárias inteiras pensando nessas pessoas, se inserem em narrativas mais descoladas e apostam em produtos de caráter mais jovem.

 

Anúncios vão tomar conta das redes e apps

 

Há poucos anos, grandes marcas focaram suas ações em estabelecer uma base sólida de consumidores ligados em seus serviços, redes sociais e aplicativos.

 

Com diversos produtos já muito bem consolidados e de renome global, empresas como o Facebook vêm demonstrando uma clara inclinação a aumentar, de forma gradativa, a presença da publicidade no conteúdo postado nas redes.

 

Em 2018, espera-se que os anúncios em fotos e vídeos, e o conteúdo pago em texto, para bem ou para mal, aumentem e a oferta de produtos cada vez mais direcionados para o seu perfil marquem maior presença.

 

Quer saber mais como monitorar suas mídias sociais? Entre em contato com a gente!

 

Photo by Jo Jo on Unsplash

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *