Nova pesquisa aponta mudanças nas prioridades dos consumidores em 2021

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Em quem os consumidores confiam e como seu comportamento já está mudando em 2021? Entenda!

Após um ano turbulento, os consumidores ajustaram seus comportamentos e sentimentos em relação às empresas. Mas o que mudou e como podemos avaliar isso?

Para descobrir, demos uma olhada nos dados mais recentes do Edelman Trust Barometer e usamos a Brandwatch Consumer Research para investigar menções em inglês nas resoluções de Ano Novo para 2021. Ambas mostraram mudanças significativas em relação às descobertas anteriores.

+++LEIA MAIS: Os 10 maiores influenciadores do YouTube no Reino Unido e nos EUA

Mudança sísmica na confiança

De acordo com o Edelman Trust Barometer deste ano, a pandemia instigou uma onda de desconfiança sobre o governo, as empresas e a mídia.

A confiança diminuiu em todas as instituições de acordo com a pesquisa online, que foi realizada com mais de 33 mil pessoas em 28 mercados em todo o mundo entre 19 de outubro e 18 de novembro de 2020.

Apenas 59% dos entrevistados relataram confiar que as empresas fazem a coisa certa. Enquanto isso, 57% e 56% das pessoas disseram confiar no governo e em organizações não governamentais (ONGs), respectivamente.

Apenas metade dos entrevistados disse que confia na mídia para fazer a coisa certa. E apenas 53% das pessoas disse que confia na mídia tradicional como fonte neste ano, em comparação aos 65% de 2019.

Quando os entrevistados foram especificamente questionados sobre quais instituições tiveram um bom ou muito bom desempenho durante a pandemia, a Edelman descobriu que:

  • 47% dos entrevistados disseram a mídia;
  • 46% disseram as empresas;
  • 43% disseram o governo;
  • 41% disseram as ONGs.

+++LEIA MAIS: Esporte Interativo vira TNT Sports: veja a reação do público na web

Após calcular a média dos resultados, a Edelman descobriu que a confiança geral em todas essas instituições aumentou seis pontos em maio de 2020, quando a pandemia estava em pleno andamento, mas caiu cinco pontos em janeiro de 2021, refletindo o cansaço causado pelo ano turbulento e pelas restrições contínuas.

Se a confiança está baixa, como as empresas podem reconquistá-la? Compreender o mundo de seus consumidores e mudar suas prioridades é uma boa forma de começar.

Os consumidores buscam melhorias

Então, como as empresas podem começar a ter uma ideia de como mudar o comportamento e as prioridades do consumidor? Uma maneira é analisar sobre o que eles estão falando.

Para descobrir como podemos esperar que o comportamento dos consumidores mude em 2021, examinamos como as pessoas estavam discutindo suas resoluções de Ano Novo nas redes sociais. As menções que examinamos foram postadas em inglês entre 29 de dezembro e 2 de janeiro ao longo dos anos de 2018 a 2021.

Fizemos uma lista de 12 resoluções populares para estudar, que incluem coisas como economizar mais dinheiro, beber menos e fazer exercícios (todos os quais foram grandes tópicos de conversa em 2020). Em seguida, criamos categorias em torno delas na plataforma Consumer Research para ver quais foram as mais populares nos últimos anos.

É inegável que as coisas estão muito diferentes este ano.

+++LEIA MAIS: Como criadores de conteúdo infantil provam seu valor e conseguem acordos de licenciamento

Consumidores terão novas prioridades em 2021, aponta pesquisa
Criado com a Brandwatch Consumer Research

De 2018 a 2020, as mesmas resoluções tendiam a aparecer a cada ano. Cortar o consumo de bebidas liderou a lista de forma consistente, enquanto a desistência de carne e o avanço na carreira ocuparam o segundo e terceiro lugar.

Enquanto isso, as resoluções sobre aprendizagem e leitura nunca chegaram a estar entre as 10 mais comuns, geralmente consistindo em apenas 2-3% das resoluções.

Então veio 2021.

Ver mais a família e os amigos nunca foi uma área negligenciada para resoluções, mas este ano ocupou o primeiro lugar, consistindo em 20% das resoluções em nossos dados. Claro, isso foi influenciado pela pandemia porque as medidas da Covid-19 nos isolaram de nossos entes queridos.

Também descobrimos que o aprendizado e a leitura saltaram de fora dos dez primeiros para o segundo e terceiro lugar. Resoluções sobre aprender algo e ler mais representaram 17% e 13%, respectivamente, das conversas que rastreamos.

Não podemos afirmar com certeza que isso foi influenciado pela Covid-19, mas com a perspectiva de ficar preso em casa, ou ter que encontrar um novo emprego, essas duas resoluções fazem sentido neste contexto.

Por outro lado, vimos as resoluções de abrir mão de carne quase desaparecerem. Elas representaram apenas 1% das conversas que acompanhamos, em comparação com 14% no ano passado. Os outros grandes “perdedores” foram economizar dinheiro (queda de nove pontos percentuais) e cortar o consumo de bebidas alcoólicas (queda de oito pontos percentuais), embora ainda ocupasse o quarto lugar geral.

+++LEIA MAIS: Como aumentar seu Share of Voice com influenciadores

Tudo muda

O que tudo isso nos diz é que não apenas as pessoas se sentem muito diferentes em relação às organizações com as quais interagem, mas também estão contrariando as tendências comportamentais que vêm acontecendo há anos.

Os acontecimentos de 2020 nos mudaram e os efeitos continuarão se manifestando ao longo de 2021.

E para você, mudou muita coisa? Conta pra gente!

Texto: Leia Reid, Brandwatch.


A Polis Consulting é representante oficial da Brandwatch no Brasil. Para saber mais sobre a plataforma, mande mensagem para info@polisconsulting.com.br.

Gostou? Nos acompanhe também nas redes sociais:

@polisconsult no Twitter
@polis_consulting no Instagram
Polis Consulting no Facebook
Polis Consulting no LinkedIn



Siga a Polis:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Acesse aqui o seu report

Preencha os dados abaixo para acessar os relatórios: